terça-feira, 2 de julho de 2013

CONTRARIAMENTE

Há falta...E eu me farto sendo tua,
em lugares incomuns de ser e ter...
Olhos de garfo e faca,
Ligeireza que me consome em exaustão.
Sou tua fome e tua gula.
Sou o teu medo e tua audácia.
Sou o teu sagrado que profana altares
de milenares imposições indiscutíveis e indecifráveis.
Sou fada que vai à caça
e bruxa queimando em fogueiras de inquisição.
O querer e o repúdio...
Sou maçã na testa: a roleta:
vida ou morte.
Contrariamente então, ao que almejas
sou profusão em teu sangue
e transbordo dos teus contornos
para plenificar-me NAS SUAS ENTRANHAS...
Irreverentemente, uma das minhas façanhas.

5 comentários:

  1. Lindo Carla! Fazia tempo não te lia! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Cara Poetisa, que texto forte e belo!!!
    Muita Paz & Luz!! bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá.

    Um texto intenso e de um apelo incrível.
    Há também profundidade, lirismo, liberdade e loucura em tuas linhas.
    Gostei muitão!!!

    Meus parabéns pelo belo texto e um bom dia.

    ;D

    ResponderExcluir
  4. Loquaz e contagiante poema, amei. Aplausos!!!

    ResponderExcluir
  5. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir

Cola sua ESCREVÊNCIA na minha...Eu junto tudo e a gente faz uma canção...
Juntos, os nossos sonhos de ESCREVÊNCIA podem ser maiores...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Leia mais...